quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Reflexões da Sagrada Escritura: Dinheiro e Apostasia


33ª Semana do Tempo Comum - Quinta-feira
Primeira Leitura (1Mc 2,15-29)
Responsório (Sl 49 (50), 1-2. 5-6. 14-15 (R. 23b))
Evangelho - Lc 19,41-44

1. A primeira leitura nos fala hoje do testemunho de Matatias e seus filhos. Assim como ocorreu no trecho que lemos ontem, novamente o tentador faz uso do dinheiro e da promessa de benesses nesta terra, eis o que é dito a Matatias: <Tomando a palavra, os delegados do rei dirigiram-se a Matatias, dizendo: “Tu és um chefe de fama e prestígio na cidade, apoiado por filhos e irmãos. Sê o primeiro a aproximar-te e executa a ordem do rei, como fizeram todas as nações, os homens de Judá e os que ficaram em Jerusalém. Tu e teus filhos sereis contados entre os amigos do rei. E sereis honrados, tu e teus filhos, com prata e ouro e numerosos presentes”. (1Mc 2, 17-18)>. Todavia, Matatias não cai em tais seduções, e responde com coragem: <Com voz forte, Matatias respondeu: “Ainda que todas as nações, incorporadas no império do rei, passem a obedecer-lhe, abandonando a religião de seus antepassados e submetendo-se aos decretos reais, eu, meus filhos e meus irmãos, continuaremos seguindo a aliança de nossos pais. Deus nos guarde de abandonar sua Lei e seus mandamentos. Não atenderemos às ordens do rei e não nos desviaremos de nossa religião nem para a direita nem para a esquerda”. (1Mc 2, 19-22)>, e próximo a fim da leitura escutamos: <Então fugiram, ele e seus filhos, para as montanhas, abandonando tudo o que possuíam na cidade. (1Mc 2, 28) >. Que bom seria, se todos nós, cristãos, tivéssemos a coragem de Matatias, a coragem de desprezar o dinheiro iníquo e desfazer-se dos bens, quando estes se mostram obstáculo a nossa Fé. É triste, porém, que muitos hoje caem nas seduções do dinheiro, que reneguem sua Fé pelo preço de uns trocados e promessa da vanglória neste mundo. Ao invés de usar dos bens que passam para buscar a glória de Deus, usam da Fé para alcançar uns trocados.

2. Assim, como chorou hoje o Evangelho diante de Jerusalém, Cristo também chora por nós, por nossos pecados e nossas infidelidades. Por nossas tamanhas ofensas, nos tornamos inimigos de Deus, e alvos do justo castigo, da cólera divina. Tal como foi profetizado - <Dias virão em que os inimigos farão trincheiras contra ti e te cercarão de todos os lados. Eles esmagarão a ti e a teus filhos. E não deixarão em ti pedra sobre pedra. Porque tu não reconheceste o tempo em que foste visitada”.(Lc 19, 43-44)> - veio para Jerusalém o tempo do castigo, e foi tamanho o sofrimento daquela cidade. Dia virá em que esta modernidade apóstata também será severamente castigada.

Clamava o anjo em Fátima: “PENITÊNCIA”; é tempo, pois, de penitência, clamemos a misericórdia de Deus, pois logo ele há de manifestar sua Justiça, tal qual lemos no salmo: <Reuni à minha frente os meus eleitos, que selaram a Aliança em sacrifícios!” Testemunha o próprio céu seu julgamento, porque Deus mesmo é juiz e vai julgar. (Sl 49 (50), 5-6)>.

Nenhum comentário:

Postar um comentário