quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Reflexões da Sagrada Escritura: "O poder vos foi dado pelo Senhor"


32ª Semana do Tempo Comum - Quarta-feira
Primeira Leitura (Sb 6,1-11)
Responsório (Sl 81 (82), 3-4. 6-7 (8a))
Evangelho (Lc 17,11-19)

A liturgia deste dia de hoje é tão harmônica que parece ter sido escolhida providencialmente para iluminar nossa pátria. Ainda meditando sobre o livro da Sabedoria, lemos o seguinte: <Prestai atenção, vós que dominais as multidões e vos orgulhais do número de vossos súditos. Pois o poder vos foi dado pelo Senhor e a soberania, pelo Altíssimo. É ele quem examinará as vossas obras e sondará as vossas intenções; apesar de estardes ao serviço do seu reino, não julgastes com retidão, nem observastes a Lei, nem procedestes conforme a vontade de Deus. Por isso, ele cairá de repente sobre vós, de modo terrível, porque um julgamento implacável será feito sobre os poderosos. (Sb 6, 2-5)>; no dia de hoje lembramos a Proclamação da República, república esta que veio como um castigo à Dom Pedro II. O antigo imperador do Brasil, em seu reinado, aliou-se com a besta maçônica, tomando parte na perseguição aos Bispos do Brasil, levando a cativeiro o heroico Dom Vital. A república foi, pois, um castigo, o castigo a este homem que era sábio aos olhos dos homens, mas néscio aos olhos de Deus. 

Infelizmente, o pecado dos maus acaba por ecoar sobre os justos, e Isabel, a católica, viu-se separada do trono, pelo pecado de seu pai.

O mesmo trecho, porém, condena severamente esta república maçônica, que tal como a monarquia de Dom Pedro, está longe de agradar a Deus. Nossa constituição diz que todo o poder emana do povo, uma tolice sem tamanho, eis, pois, o que diz a Escritura: <Pois o poder vos foi dado pelo Senhor e a soberania, pelo Altíssimo. É ele quem examinará as vossas obras e sondará as vossas intenções; (Sb 6, 3)>. O poder vem de Deus e não do povo, nenhuma maioria "democrática" tem permissão para ir contra as leis eternas, basta lembramo-nos do episódio do Dilúvio.

Em resposta a primeira leitura, rezamos com o salmo: <Levantai-vos, ó Senhor, julgai a terra! (Sl 81 (82), 8a)>, façamos deste o sincero pedido de nosso coração, que o Senhor venha libertar os oprimidos, julgar os poderosos, e reduzir a pó todos aqueles que conspiram contra sua lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário