quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Da Quaresma

35) Que é a Quaresma?
A quaresma é um tempo de jejum e de penitencia, instituído pela Igreja por tradição apostólica.

36) Para que fim foi instituída a Quaresma?
A Quaresma foi instituída: 1° para nos fazer conhecer a obrigação que temos de fazer penitencia em todo o tempo da nossa vida, a qual, segundo os Santos Padres, a Quaresma é a figura; 2° para imitar de algum modo o rigoroso jejum de quarenta dias que Jesus Cristo fez no deserto; 3° para nos preparar por meio da penitencia para celebrar a festa da Páscoa.

37) Porque se chama dia das Cinzas o primeiro dia da Quaresma?
Chama-se o primeiro dia da Quaresma dia das Cinzas, porque a Igreja impõe naquele dia as cinzas na cabeça dos fiéis.

38) Porque impõe a Igreja as cinzas no princípio da Quaresma?
A Igreja, no principio da Quaresma, impõe as cinzas a fim de que nós, lembrando-nos de que somos pó, e de que após a morte nos havemos de reduzir a pó, nos humilhemos e façamos penitencia dos nossos pecados enquanto temos tempo.

39) Com que disposição devemos receber as cinzas?
Devemos receber as cinzas com o coração contrito e humilhado, e com a santa resolução de passar a Quaresma em obras de penitencia.

40) Que devemos fazer para passar bem a Quaresma, segundo o espírito da Igreja?
Para passar bem a Quaresma, segundo o espírito da Igreja, devemos fazer quatro coisas: 1° observar exatamente o jejum e mortificar-nos não só nas coisas ilícitas e perigosas, mas ainda, quanto pudermos, nas coisas lícitas, como seria moderar-nos nas recreações; 2° fazer orações, esmolas e outras obras de caridade cristã para com o próximo, mais do que em qualquer outro tempo; 3° ouvir a palavra de Deus, não por mero costume ou curiosidade, mas com o desejo de por em prática as verdades que ouvirmos; 4° ter grande cuidado em nos prepararmos para a confissão, para tornar mais meritório o jejum, e para nos dispormos melhor para a Comunhão pascal.

Catecismo Maior de São Pio X; Instrução – Primeira Parte: Das Festas de Nosso Senhor; Capítulo VI: Da Quaresma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário