terça-feira, 25 de setembro de 2018

''Todo o preguiçoso porém está sempre na pobreza''


25ª Semana do Tempo Comum - Terça-feira 
Primeira Leitura (Pr 21,1-6.10-13) 
 Responsório (Sl 118, 1.27.30.34.35.44) 
 Evangelho (Lc 8,19-21) 

 Estamos lendo na liturgia dos últimos dias o livro dos Provérbios, entre diversos aforismos e conselhos, hoje chamou-me atenção o seguinte: <Os pensamentos do homem ativo produzem sempre abundância, todo o preguiçoso porém está sempre na pobreza (Pr 21, 5)>; uma verdade simples, óbvia e, todavia, um tanto quanto esquecida. Parece que em nosso país reina certo clima de vitimismo, onde tudo se espera dos líderes e governantes. Se as coisas vão mal, a culpa é do governo corrupto, dos líderes incompetentes, etc. Mas, e a minha responsabilidade em tudo isso? Estou de fato dedicando-me a minha profissão? Trabalhando com fidelidade? Estou dedicando-me dignamente, com atividade, entusiasmo e criatividade? Tenho visto como uma visão errada da vida intelectual tem destruído a vida de muitos e servindo de máscara para disfarçar a preguiça. Sob a desculpa de se dedicar aos estudos, a “restauração da alta cultura”, o sujeito negligencia seus deveres, seu trabalho, vira um especialista de internet sustendo por terceiros e lamentando eternamente o fato de não lhe reconhecerem o talento. Onde está sua inventividade? Sua criatividade? Seu vigor para buscar cumprir um dos primeiros deveres de todo o bom homem que é providenciar dignamente o próprio sustento?

Rezemos a Deus para que nos livre do vício da preguiça, vício este que só produz a miséria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário