sexta-feira, 26 de outubro de 2018

"Espera no Senhor e sê forte!"

O ser humano é um composto de corpo e alma, esta de natureza espiritual; tal constituição nos torna criaturas únicas na face da terra, um ser fronteiriço entre anjos e bestas. Tal é nossa condição, e a realização de nossa existência pede uma tomada de consciência desta realidade. Se ignorarmos os apelos de nossa alma, e restringirmo-nos apenas a esta existência material e aos instintos imoderados, tornar-nos-emos piores que os animais; de igual modo, se negligenciarmos nossa natureza material, num intento gnóstico de divinação, longe de aproximarmo-nos dos anjos, transformar-nos-emos em joguetes nas mãos demônios.

Hoje, pretendo tratar do cuidado devido ao corpo. A civilização burguesa nos oferece uma ilusória segurança, de modo que nos alienamos de nosso corpo, negligenciamos o desenvolvimento de habilidades fundamentais a nossa sobrevivência. Pergunto ao leitor, se em um cenário hipotético, viesse a faltar-lhe o transporte automotivo, quão seriamente sua rotina seria alterada? Conseguiria percorrer a pé distâncias razoável? Pensemos na caminhada de 40 anos dos hebreus rumo a Canaã, ou no tempo em que Nosso Senhor Jesus Cristo habitou sobre a terra, percorrendo a Palestina com seus discípulos. Pergunto ainda, ante um conflito de morte com o inimigo, quão preparado estaria? Teria a velocidade, o preparo psicológico e a força necessária param se defender em uma luta corporal caso fosse necessário? E em uma situação de fuga? Como está seu fôlego nas corridas? Sua capacidade de salto? Escalada? Ante restrições alimentares, seria capaz de manter a temperança, tal qual Cristo que venceu ao demônio após 40 dias de jejum no deserto? Está, pois, fortalecido para enfrentar a dor, não ceder frente as torturas, como fizeram os mártires? É certo que, ante situações extremas, por nossas forças apenas seremos subjugados, é pela graça, pela ação de Deus sobre o homem, que se fundamenta o heroísmo cristão, mas a graça age sobre a natureza, de modo que o fortalecimento do corpo não significa de maneira alguma uma desconfiança ante a Providência,

Além disso, no processo de treinamento, junto a um aprimoramento das habilidades físicas, vem consigo um crescimento na virtude. Recordo-me de uma conversa com um amigo a respeito da musculação; este me contava como fora capaz de desenvolver a disciplina e um a maior tolerância a dor por meio de um intenso treinamento. As dietas e jejuns para a conquista da forma corpórea desejada podem vir tornara-se armas poderosas contra o vício da gula, de igual modo, a resistência a dor e a determinação no "pegar peso" podem favorecer o desenvolvimento daquela fortaleza espiritual necessária para suster o homem em tempos de crise e aridez. Note que tais virtudes não seriam desenvolvidas ante uma forma de treino inadequada que recorresse a trapaças como "bombas" e anabolizantes, o resultado estético viria sem dúvida, mas acompanhado de prejuízos a saúde, e apartado daquela "fibra espiritual".

Mais do que treinar, é necessário treinar adequadamente e, diria eu, munido de uma perspectiva sobrenatural. O corpo não tem uma função meramente estética, mas é instrumento de nossa alma, Templo do Espírito Santo; que iluminados pela Revelação, possamos lidar com ele de forma mais sã.

Ante o exposto, exorto o leitor: sê forte, no corpo e na alma. Cultive uma rotina de treinamento adequada e variada, desenvolva diversas habilidades físicas, tais lhe serão úteis nesta caminhada terrena, bem como podem ser ocasião da aquisição da virtude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário