segunda-feira, 29 de outubro de 2018

''Nada de obscenidades!''


30ª Semana do Tempo Comum - Segunda-feira 
Primeira Leitura (Ef 4,32-5,8) 
Responsório (Sl 1)
Evangelho (Lc 13,10-17)

A pureza é uma sublime virtude que eleva a alma a estatura dos anjos. A luxúria a faz descer ao nível das bestas. Na liturgia de hoje, São Paulo exorta-nos: <Quanto à fornicação, à impureza sob qualquer forma ou à avareza, que disto nem sequer se faça menção entre vós, como convém aos santos. Nada de obscenidades, de conversas tolas e levianas, porque tais coisas não convém, em vez disso, ações de graças. (Ef 5, 3-4)>

É oportunidade para um sincero exame de consciência. Tenho eu rejeitado tenazmente toda e qualquer impureza? Ou antes, embora me abstenha daqueles pecados mais hediondos, tenho alimentado uma cultura obscena, consumindo entretenimento inadequado, alimentando conversações imundas, cultivando anedotas pornográficas e um vocabulário impuro?

Mesmo na zoeira, as piadinhas devem ser evitadas? Sim! No salmo cantamos: <Feliz o homem que não procede conforme o conselho dos ímpios, não trilha o caminho dos pecadores, nem se assenta entre os escarnecedores. (S1 1, 1)>. A zombaria e o escárnio tantas vezes faz-nos perder o senso do pecado. Purifiquemos, pois, nossos atos, nossas palavras e nosso humor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário