terça-feira, 23 de outubro de 2018

Vigilância


29ª Semana do Tempo Comum - Terça-feira
Primeira Leitura (Ef 2,12-22)
Responsório (Sl 84)
Evangelho (Lc 12,35-38)

O Evangelho de hoje nos fala da vigilância, vigilância essa associada a uma espera, que exige necessariamente certa desilusão, uma saudável desesperança.

Quem crê que este mundo basta, que pode por suas forças construir no lugar de desterro um paraíso terreno, um reino de progresso e justiça por suas próprias forças, tal não têm motivos para esperar seu Senhor.

O pelagianismo de outrora, é hoje a estrutura da vida política. Direitas, esquerdas, centro, terceiras, quartas e tantas outras vias teorias políticas não mais esperam. A salvação e a ordem não é vista mais como uma dádiva dos céus, mas um direito, conquistado e construído pelos filhos de Adão.

Contra esses devaneios vazios ecoam as catástrofes do Apocalipse, e as Profecias de Fátima,; deixados por si mesmo, os filhos de Adão terminarão confeccionando tiranias e semeando a tragédia, ora outra a realidade obrigará o despertar dos dorminhocos de suas ilusões burguesas, só resta saber se, quando isto acontecer, ainda haverá tempo para estes pobres coitados?

Nenhum comentário:

Postar um comentário