segunda-feira, 25 de março de 2019

Remédios externos contra a Impureza

Agora, vamos tratar dos remédios externos contra a impureza. 

3. Meios externos de castidade:

a) fuga do ócio e intemperança...

[10] Em primeiro lugar, é preciso fugir absolutamente da ociosidade. Conforme se lê nas profecias de Ezequiel, foi o ócio que embruteceu os habitantes de Sodoma e os precipitou naquele imundíssimo crime da mais abjeta devassidão.

Depois, devemos esforçar-nos por evitar a intemperança. “Eu os saciei, diz o Profeta, e eles cometeram adultério". A razão é porque o ventre cheio e saturado provoca a sensualidade. Nosso Senhor nos faz a mesma advertência : “Guardai-vos, pois, de agravar vossos corações com excessos de comida e bebida" . E o Apóstolo também diz: “Não vos embriagueis com vinho, pois nisso há luxúria"

….dos olhares indiscretos

Muita s vezes, são sobretudo o olhos que ateiam a luxúria no coração. A isso alude aquela palavra de Cristo Nosso Senhor: "Se teu olho te for ocasião de pecado, arranca-o e lança-o para longe de ti". Inúmeras são, aliás, as passagens dos Profetas que redundam na mesma doutrina. Por exemplo, o que dizia Jó: "Ajustei com os meus olhos, para que nem sequer me acudisse a lembrança de urna virgem". Muitos também, e quase inumeráveis, são os exemplos de desgraças que tiveram sua origem na fixação de um olhar. Assim pecou Davi , assim pecou o principie de Siquém; do mesmo modo delinquiram também os anciãos, que caluniaram Susana.

...dos requintes da moda

[11] Por sua vez, os requintes da moda agradam muito à vista, mas provocam não raro tentações impuras. Por isso mesmo, adverte o Eclesiástico: ''Afasta teus olhos da mulher que estiver ataviada”. Ora, · como as mulheres se comprazem em adornos exagerados, será de bom aviso que o pároco, de vez em quando, as advirta e repreenda naqueles termos rigorosos que o Apóstolo São Pedro empregou, quando falava desta matéria “ O adorno das mulheres não consista em exterioridades : cabelos armados, adereços de ouro, gala e luxo nos vestuários". São Paulo também insiste em que elas não andem "com cabelos frisados, com joias de ouro, com pérolas e ricos vestidos". Na verdade, muitas mulheres que se adornavam com ouro e pérolas, perderam a formosura da alma e do corpo.

...das conversas, cantigas e bailes torpes

A esta provocação de luxúria, proveniente do exagero no trajar, acresce outra que são as conversas torpes e obscenas . As palavras obs­cenas são como um facho que põe a arder o coração dos adolescentes. “As más conversas, diz o Apóstolo, corrompem os bons costumes".

Piores efeitos, ainda, surtem as cantigas e os bailes sensuais e voluptuosos. Devem, pois, ser evitados com o maior escrúpulo.

...do livros e imagens obscenas

Nesta categoria entram também os livros obscenos e romances amorosos. É um dever evitá-los, bem como as imagens indecentes, porque tais coisas arrastam, com a maior violência, a prazeres sensuais, e inflamam para o mal o coração dos jovens.

O pároco por sua vez, obrigar-se-á a cuidar, antes de tudo, que a respeito de imagens sejam estritamente observadas as santas e respeitáveis determinações do Sacrossanto Concilio de Trento.
Havendo, pois, grande zelo e vigilância em se evitarem os perigos que acabamos de apontar, desaparecem quase todas as ocasiões para os desmandos da luxúria.

b) uso frequente dos Sacramentos

[12] Mas a maior força para a sua repressão está no uso frequente da Confissão e da Eucaristia; depois, nas assíduas e fervorosas orações a Deus, acompanhadas de esmolas e jejuns. Pois a castidade é uma graça, que Deus não nega a quem a pede com as devidas disposições. Além do mais, Ele não permite que sejamos tentados acima de nossas forças.

c) obras de mortificação

[13] Devemos, entretanto, exercer o corpo não só por meio de jejuns, preferindo os dias instituídos pela Santa Igreja, mas também por vigílias, piedosas romarias e outras espécies de mortificação. Devemos, pois, sofrear a petulância dos sentidos. Nestas e noutras práticas semelhantes é que mais se manifesta a virtude da temperança.

No mesmo sentido escrevia São Paulo aos Coríntios : “Todos aqueles que lutam na arena, fazem abstinência em toda s as coisas. Eles assim procedem, para conseguirem uma coroa que murcha; nós, porém, (lutamos) por uma coroa incorruptível" . Mais adiante diz ele: "Castigo o meu corpo, e o reduzo à escravidão, para que, depois de haver empregado a outros, não seja eu mesmo condenado como réprobo". E noutro lugar : "Não ceveis a carne em favor da má concupiscência" . 

Catecismo Romano; III Parte: Dos Mandamentos; VI. 6° Mandamento; pág. 449-450.

Nenhum comentário:

Postar um comentário