quinta-feira, 25 de julho de 2019

Caridade, Santos e Lobisomens


16ª Semana do Tempo Comum - Quinta-feira
Primeira Leitura (2Cor 4,7-15)
Responsório (Sl 125)
Evangelho (Mt 20,20-28)

1. Na primeira leitura, após descrever as circunstâncias de seu ministério em meio a sofrimentos e tribulações, conclui o apóstolo: <Tudo, com efeito, é por amor de vós, para que a graça que abunda redunde em glória de Deus pela ação de graças de muito. (2Cor 4, 15)>; curioso, não? Ao menos para mim o é. Ecoa nestas linhas o mistério de uma caridade verdadeiramente sobrenatural. Que alguém sofra por amor a Deus é compreensível, que o faça por aqueles que lhe são intimamente próximos, talvez por sua esposa e seus filhos, é heroico, mas igualmente compreensível. Que o faça por aqueles com os quais não tem nenhum laço de parentesco ou matrimônio, isto não é curioso? Como consegue o apóstolo entregar seu sofrimento pelos outros? Como consegue de fato amar um desconhecido? Pergunto com sinceridade ao irmão, consegue suportar sofrimentos e tribulações por aquele homem sentado lá no fundo do banco de sua paróquia? Confesso que com frequência me falta até a mínima paciência para explicar verdades a alguém com certa dificuldade intelectual, que me falta ânimo a ensinar ignorantes, que me aborrece de sobremaneira ser injustiçado, contrariado ou ceder quando estou absolutamente certo. Por essas e outras que o Santo é São Paulo e eu um miserável pecador; não sei eu amar. Pergunto ao leitor, consegue amar? Está disposto servir e dar sua vida em favor de muitos? Não? Então me acompanhe nesta prece, peçamos ao senhor o dom da caridade, a graça de por seu amor amar a nosso próximo verdadeiramente. 


2. Hoje é dia do Apóstolo São Tiago, irmão de São João Evangelista. Também celebramos a memória de São Cristóvão. Cristóvão é  padroeiro dos viajantes, motoristas (em especial os caminhoneiros) e, segundo uma velha lenda medieval, dos lobisomens.

É uma ótima oportunidade para uma aventura, sob o luar buscar uma capelinha interiorana, em meio estradas de terra na zona rural, para lá assistir aos ofícios divinos. Quem sabe encontramos um lobisomem devoto pelo caminho?

Nenhum comentário:

Postar um comentário