quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Basta dessa idolatria populista! (2)


25ª Semana do Tempo Comum - Quarta-feira
Primeira Leitura (Esd 9,5-9)
Responsório (Tb 13,2-8)
Evangelho (Lc 9,1-6)

No dia de hoje, o livro de Esdras nos traz um precioso ensinamento, um tanto obscurecido, todavia, dado há algumas terríveis traduções (entre elas a própria edição Ave Maria). Cito aqui a passagem citando uma das edições mais seguras, a tradição da Vulgata pelo Padre Matos Soares
Nós mesmos também temos cometido graves pecados até o dia de hoje e, por nossas iniquidades temos sido abandonados nós, os nossos reis, os nossos sacerdotes, nas mãos dos reis da terra, e entregues à espada, ao cativeiro, à rapina, e à confusão dos nossos rostos, como (se vê) ainda hoje. (Ed 9, 7b) 
Não raro, dado a certa doença populista, temos a ver o povo sempre como fosse um ente puro, a sofrer nas mãos de líderes ineptos. Todavia, a Escritura nos faz ver a responsabilidade do povo ante seus líderes. Pelos pecados deste mesmo povo, os líderes são abandonados por Deus, tendo sido negado a eles graças de estado necessárias para governar adequadamente. E note o leitor que isto não acontece tão somente no âmbito da autoridade temporal, mas também no terreno espiritual, pois Esdras cita também “nossos sacerdotes”. 

É fácil tornar a autoridade uma espécie de bode expiatório, difícil porém é olhar para si mesmo e acusar as próprias faltas. Mas sem essa penitência pessoal e “coletiva”, sem que o povo examine seus caminhos e confesse seus pecados, não há que se esperar por líderes virtuosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário