sábado, 28 de setembro de 2019

Coragem ante a Verdade


25ª Semana do Tempo Comum - Sábado
Primeira Leitura (Zc 2,5-9.14-15a)
Responsório (Jr 31,10-13)
Evangelho (Lc 9,43b-45)

No Evangelho de hoje, Nosso Senhor Jesus Cristo anuncia aos apóstolos sua paixão. Os discípulos não o compreendem, tal palavra lhes parece demasiado obscura. Ante tantos milagres realizados, ante tal poder manifesto, como poderá se seguir tamanha rejeição e sofrimento? Mas, os apóstolos não eram homens tolos, conheciam as profecias, estavam com Jesus já a algum tempo, mais do que ignorância, está dificuldade de se compreender a palavra do mestre revela-nos algo da natureza humana: a nossa dificuldade em lidar com “más notícias”. Antes queremos iludir-nos, acreditar que tudo ira bem, que nossa jornada neste mundo se dará de modo tranquilo, tal qual um desenho infantil. E de tal forma iludidos rejeitamos os avisos do céu, os sinais de tempestade, os oráculos e profecias. 

Não é assim ainda hoje? Nossa Senhora em Fátima e Akita comunicou-nos a vinda de um castigo aterrador de proporções diluvianas, mas em vez de buscarmos a conversão e a penitência, antes ignoramos tais mensagens, sonhando com “dias de glória”. Pensemos em um exemplo ainda mais recente, o Sínodo da Amazônia, onde hereges contumazes maquinam para abolição do celibato sacerdotal e renascimento do paganismo sob disfarce ecológico, pensemos nas iniquidades presentes no instrumentum laboris, a vista de todos. O documento chega a afrontar o dogma extra ecclesiam nulla salus afirmando: < A abertura não sincera ao outro, assim como uma atitude corporativista, que reserva a salvação exclusivamente ao próprio credo, são destruidoras desde mesmo credo>Todavia, há quem ignore tudo isso, e diga a si mesmo que as críticas ao sínodo não passa de alarmismo de alguns “ultratradicionalistas fanáticos”

Peçamos a Deus a coragem para buscarmos a verdade, mesmo que esta nem sempre nos traga boas notícias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário