quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Paradoxos da Vida Espiritual


30ª Semana do Tempo Comum - Quarta-feira
Primeira Leitura (Rm 8,26-30)
Responsório (Sl 12)
Evangelho (Lc 13,22-30)

As leituras de hoje parecem um tanto quanto paradoxais. São Paulo nós ensina que o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza; afirma ainda o apóstolo que a Providência conduz a história, de modo que tudo conspira para o bem dos que temem a Deus. Mas, no Evangelho, Nosso Senhor Jesus Cristo fala da necessidade de esforço para entrarmos pela porta estreita. Afinal, como é a vida do cristão? Uma postura passiva onde se deixa conduzir pelo sopro do Espírito, como o velejar de uma caravela, ou antes uma postura ativa que exige esforço e vontade, como uma dura escalada? A resposta é simples: ambos.

Já andaram se bicicleta, não? Pois o terreno nem sempre é plano, na subida é preciso fazer um esforço hercúleo a ponto de doer as pernas, é necessário força, ritmo constante, resistência para suportar o calor do sol, o suor e o mau cheiro; mas na decida, tudo é mais fácil: não é preciso pedalar antes somos que conduzidos pela inércia, não raro em a alta velocidade, sentimos o vento refrescando o corpo, tudo isso torna o passeio agradável. A vida espiritual funciona mais ou menos assim, há momentos de esforço e momentos onde o Espírito nos conduz. Precisamos viver bem ambas as ocasiões afim de completar a corrida e passar pela porta estreita, pois a derrota significa o inferno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário