quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

GTO: "Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos"


Após completar o anime Ginga Eiyuu Densetsu (Legend of the Galactic Heroes) fui acometido por uma espécie de dessensibilização. Tudo o mais que viera a habitar indústria cultural me soava inferior, pobre, incapaz de cativar-me. Mesmo boas obras como Kaiji e Trigun eram um nada quando comparadas ao opus magnum da animação japonesa. Entretanto, essa minha "arrogância de meia" idade (meia idade ed? Tú não chegou nem nos trinta ainda ed...) foi reduzida ao pó por GREAT TEACHER ONIZUKA. Falo específica e exclusivamente do dorama de 2012, o qual você pode baixar logo ali; a propósito:




***

Comecemos com algumas notas moralistas. A obra original é pervertida, uma comédia adolescente estilo American Pie. É um humor que me irrita. E porque me irrita? Por que sou um católico arquiconservador retrógrado tradicionalista, ou seja, sou gente. Sim, se você não é católico você nem gente é. Onde eu estava mesmo? Ah sim! Na obra original Onizuka é um pervertido que resolve se tornar professor para pegar as novinhas, sendo o aspecto cômico o centro da narrativa. No dorama não é assim. Embora existam alguns resíduos desse humor infeliz (de forma felizmente bastante diluída), o drama moral é que dá o tom da narrativa. Onizuka é um personagem absolutamente irreal e inverosímel (mas nem por isso deixa de ser profundamente interessante), capaz dos mais sublimes graus de virtude (apesar de seus vícios que contrariam aos mandamentos 6 e 9); é alguém capaz de sacrificar a fama, poder, dinheiro, status e a própria vida por seus amigos. É alguém que se deixa tocar profundamente pelos problemas de seus alunos (que nada tem de draminhas adolescentes bobocas mas são problemas realmente sérios). Onizuka não é simplesmente um cara bonzinho, mas alguém inexplicavelmente bom, bom além do humanamente razoável. Uma bondade heroica que só poderia ser concebida e ser explicada por um influxo espeical da graça; a atitude heroica de Onizuka deveria ser almejada por todo o católico.

<Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos. (Jo 15, 13)>

''Só'' isso já seria o suficiente para fazer do dorama uma grande obra, mas ainda tem mais. A trilha sonora, apesar de limitada e repetitiva, é adequada e instigante, as atrizes japonesas são lindas, e os personagens são extremamente bem construídos. Alguns tão inverossímeis e profundos como o próprio Onizuka.

Só as gactas.
Por fim, gostaria de falar sobre o episódio 7. Não, não vou dar spolier algum, limito-me a entonar meu panegírico a essa obra prima. Que roteiro meus amigos! Que roteiro! 

Que está fazendo aqui ainda camarada? Vá lá assistir !

Nenhum comentário:

Postar um comentário