segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

O Tempo de Deus


3ª Semana do Tempo Comum - Segunda-feira
Primeira Leitura (2Sm 5,1-7.10)
Salmo Responsorial (Sl 88)
Evangelho (Mc 3,22-30)

1. Davi era muito jovem quando fora ungido por Samuel, o futuro rei não tinha ainda sequer chegado aos vinte anos. Apenas anos depois, por volta dos 30 anos, é que o filho de Jessé viria a reinar de facto, primeiro sobre Hebron, e posteriormente sobre todo o Israel.

As coisas de Deus acontecem no tempo de Deus. Neste mundo capitalista, queremos tudo para ontem, tudo de imediato, pois tempo é dinheiro. Mas Deus não é um capitalista, antes age como que um artista, como um sábio diretor de cinema, a introduzir no devido tempo os elementos necessários ao desenvolvimento da trama. Se tudo com relação a um personagem se resolver logo no início do filme, que graça teria? Desde uma perspectiva artística podemos melhor vislumbrar as "demoras" de Deus. É certo que é uma perspectiva ainda incompleta e incapaz de perscrutar todos os insondáveis mistérios da Divina Providencia, mas ainda assim é uma ferramenta válida que nos ajuda a desenvolver a virtude da paciência.

2. No Evangelho de hoje, Nosso Senhor Jesus Cristo nos alerta sobre a gravidade do pecado contra o Espírito Santo. De tal forma que, creio ser oportuno recordar os esclarecimentos do catecismo a respeito do tema:

961) Quantos são os pecados contra o Espírito Santo?
Os pecados contra o Espírito Santo são seis:
1º desesperar da salvação;
2º Presunção de se salvar sem merecimentos;
3º combater a verdade conhecida;
4º ter inveja das graças que Deus dá a outrem;
5º obstinar-se no pecado;
6º morrer na impenitência final.

962) Por que se chamam estes pecados particularmente pecados contra o Espírito Santo?
Chamam-se estes pecados particularmente pecados contra o Espírito Santo, porque se cometem por pura malícia, o que é contrário à bondade que se atribui ao Espírito Santo.

- Catecismo Maior de São Pio X

Nenhum comentário:

Postar um comentário