terça-feira, 21 de abril de 2020

''Vós formastes o universo inabalável''


2ª Semana da Páscoa - Terça-feira
Primeira Leitura (At 4,32-37)
Salmo Responsorial (Sl 92)
Evangelho (Jo 3,7b-15)

1. Hoje é um daqueles poucos dias onde a tradução litúrgica soa tanto melhor que o antigo texto da Vulgata. Diz a tradução do Pe. Figueiredo: <Porque elle firmou o vasto corpo da terra, de sorte que elle não será abalado (Sl 92,1b)>, enquanto por sua vez canta o salmista: "'Vós firmastes o universo inabalável''. Com algum conhecimento de astronomia, aquilo que hoje cantamos no salmo se torna ainda mais sublime.

Nosso planeta está localizado em algum lugar na galáxia da Via Láctea. No centro de nossa galáxia, como em todas as galáxias, há um buraco negro. Toda a galáxia orbita em torno dele. A força gravitacional do buraco aumenta a cada instante, engolindo os corpos celestes em suas proximidades e rearranjando a distribuição espacial. Não só isso, os buracos negros de cada galáxia se atraem mutualmente, podendo chegar o momento em que haja um choque galáctico. Em escala um tanto menor, nosso sistema solar é governado por uma estrela em constante explosão interna, gerando luz e calor. Mas, tais explosões dependem de uma espécie de combustível atômico, quando este combustível se acabar, a tensão gravitacional irá matar a estrela, numa épica explosão conhecida como supernova, e todo o sistema em seu entorno, morrerá na escuridão. Pelo que sabemos, o universo é absolutamente instável. Entretanto, ''coincidente'' vivemos em uma era espacial de relativo equilíbrio, o qual é capaz de sustentar a vida. Muita sorte, não? Ou antes um ato de vontade do Criador.

''Vós formastes o universo inabalável''

É pela vontade do Senhor que toda essa instabilidade externa se mantém em equilíbrio inabalável e somos nós capazes de seguir em nossa vidinha...

2. <O espírito assopra onde quer: e tu ouves a sua voz, mas não sabes donde elle vem, nem para onde ele vai: assim he todo aquelle, que he nascido do espirito. (Jo 3, 8)>

O vento sopra onde quer, assim é o Espirito. Mas, quão difícil é para nos a docilidade a seu chamado. Queremos ter o controle, um plano de vida estável, fixar raízes como plantas e não andar para lá e para cá ao sabor do vento, vivendo na incerteza, sem saber o dia de amanhã. Mas, por trás dessa agitação, dessa instabilidade, se exerce a virtude da Fé, a confiança naquele que conduz a história, a nossa historia, que nos ama, e tudo dispõe para o nosso bem, para que nossa aventura neste mundo seja lembrada como uma épica narrativa. É preciso Fé para deixar-se guiar pelo Espírito, vigilância para estar atento a seu chamado, discernimento para não confundir a sua voz. Que Deus nos conceda tais dons.

"Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra."

Nenhum comentário:

Postar um comentário