sexta-feira, 28 de agosto de 2020

A infestação diabólica

A infestação diabólica é uma moléstia que o diabo desenvolve na natureza inanimada (ou animal) para prejudicar com ela o homem. É infestação local quando afecta lugares ou casas (ruídos, passos, movimentos de objectos, etc.).

Mas a infestação pode afectar directamente a pessoa quando o demónio exerce nela uma determinada moléstia, mal físico ou psíquico. Disso nos poderiam falar particularmente os santos como o Cura d' Ars, e às vezes, os próprios exorcistas, sem esquecer os casos de pessoas leigas.

Actualmente, diz o Pe. Amorth, a maioria dos casos que cura não são casos de possessão, mas de infestação pessoal . Neste sentido, aumentam os malefícios que alguém tenta infligir a outrem através da influência do diabo. O próprio Amorth admite apesar de tudo que não se deve acreditar facilmente nos malefícios. «Trata-se sempre de casos raros. Um exame atento dos factos revela muitas vezes causas psíquicas, sugestões, ou falsos medos na base dos inconvenientes de que se queixam». Mas admite casos que ele próprio conseguiu comprovar. 

O Pe. Amorth conta um caso que aconteceu ao seu mestre, o Pe. Cândido, juntamente com outro exorcista também autorizado pelo bispo. Estavam os dois a interrogar uma rapariga num exorcismo, no decorrer do qual souberam que alguém tinha feito um feitiço à rapariga. Tratava-se de uma caixa de madeira de um palmo de largura. Através de um interrogatório, a rapariga contou-lhes que a caixa tinha sido escondida junto a uma árvore, a um metro de profundidade. Foram ao lugar, encontraram a caixa e nela uma figura obscena juntamente com outros trastes. Queimaram-na, mas não tiveram o cuidado de a borrifar com água benta ou fazer uma oração. O resultado foi que o Pe. Cândido ficou três meses de cama com fortes dores de estômago.

- José António Sayés; O Demônio: Realidade ou Mito?; p.153-154.

Nenhum comentário:

Postar um comentário