quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Mais mansos que cordeiros e mais ferozes que leões


20ª Semana do Tempo Comum | Quinta-feira
Primeira Leitura (Ez 36,23-28)
Salmo Responsorial (Sl 50)
Evangelho (Mt 22,1-14)

Nos últimos dias, alguns covardes ficaram escandalizados com uma suposta agressividade do movimento pró-vida na tentativa de evitar um aborto e salvar uma alma da danação. Infelizmente, os assassinos tiveram  sucesso em derramar sangue inocente, o qual agora clama ao céu por vingança. No tempo oportuno, porém, cairá sobre suas cabeças o castigo dos céus. No Evangelho de hoje, destaco o trecho o qual trata da cólera divina: <O rei soube e indignou-se em extremo. Enviou suas tropas, matou aqueles assassinos e incendiou-lhes a cidade. (Mt 22, 7)>

Aos covardes, recordo que a liturgia celebra hoje a memória de São Bernardo, que dentre tantos feitos, a história o recorda como mestre espiritual da ordem dos templários. Em um famoso texto, intitulado ''Elogio aos Templários'', diz o santo abade daqueles santos cavaleiros:

<Enfim, vê-se todavia no dia de hoje, por uma graça singular e admirável, que eles são mais mansos que cordeiros e mais ferozes que leões.>

Tal deveria ser o norte de todo o varão católico. Aos amigos, ao próximo, aqueles que ama, deve mostrar-se manso como cordeiro. Aos inimigos, deve combater de forma mais feroz que o leão. Infelizmente, acontece hoje tantas vezes o contrário; ludibriados pelo demônio, muitos são mansos ante os inimigos e ferozes para com amigos e irmãos.

No contexto da peste, qualquer um de nós pode vir a morrer em questão de semanas, de forma súbita, vitimados pelo covid-19. Não é o tempo em que se pode dar ao luxo de covardia. Se há um momento para testemunhar a fidelidade radical a Igreja e sua doutrina, bem como o ódio perfeito aos inimigos da santa cruz,  afim de tentar purgar parte de nossos pecados, esse tempo é agora. Depois pode vir ser tarde demais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário