quarta-feira, 4 de novembro de 2020

"[...] irreprehensiveis no meio d'huma nação depravada, e corrompida: onde vós brilhais como astros no mundo"


31ª Semana do Tempo Comum | Quarta-feira
Primeira Leitura (Fl 2,12-18)
Salmo Responsorial (Sl 26)
Evangelho (Lc 14,25-33)

Vivemos nós em uma época de degeneração, em uma sociedade apóstata, em um mundo apodrecido e degradado, mas, isso não é algo inédito. Atentemos pois as palavras do apóstolo na Carta aos Filipenses: <A fim de serdes sem nota, e sem refolho, como filhos de Deos irreprehensiveis no meio d'huma nação depravada, e corrompida: onde vós brilhais como astros no mundo (Fl 2,15)>.

Note o leitor que São Paulo não alimente projetos ilusórios de reforma social, não propõe um novo mundo, mas remete a conduta pessoal e destaca a necessidade dos cristãos daquele tempo de manterem-se puros, contrastando com a imundície da sociedade. E de fato o juízo do apóstolo mostrou-se correto, uma vez que Roma só viria a tornar-se católica mais de 300 anos depois, a essa altura os Filipenses a quem originalmente fora dirigida a carta, já estavam mortos. O mesmo irá acontecer conosco, nenhum de nós viverá para ver o florescimento de uma nova sociedade, uma hipotética nova cristandade, temos, pois de sobreviver a degeneração contemporânea, mantermo-nos puros e irrepreensíveis, de pé em meio a ruínas. Que nossa esperança esteja no céu, e não na terra, do contrário ficaremos frustrados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário