terça-feira, 10 de novembro de 2020

Sobriedade


32ª Semana do Tempo Comum | Terça-feira
Primeira Leitura (Tt 2,1-8.11-14)
Salmo Responsorial (Sl 36)
Evangelho (Lc 17,7-10)

Sobriedade. a palavra aparece repetidas vezes na primeira leitura de hoje. Fica mais fácil entendermos seu significado quando a comparamos com seu antônimo: embriaguez. Embriaguez é um estado de confusão, onde nossa conduta segue um ritmo que não é adequado a situação, e nosso raciocínio está como que obnubilado. A forma mais conhecida de embriaguez é aquela advinda do álcool, existem outras substâncias que causam efeito semelhante, mas não só. Existe a embriaguez das paixões, a embriaguez de luxúria, da ira, da tristeza; como bêbados estamos com o raciocínio obscurecido, numa conduta viciosa. Existe um outro tipo de embriaguez que por vezes é tida como virtude aos olhos dos incautos: a embriaguez da moderação. A quietude e a calma nem sempre são adequadas. Em meio a uma guerra, ou aos atos próprios do matrimônio, certo radicalismo, certa paixão se faz necessária, quem ali se mantivesse calmo, moderado, estaria falhando em seus deveres de estado. Em meio a crise eclesial deste século não poucos recorrem a este tipo de embriaguez; os bárbaros profanam o templo sagrado, as santas relíquias são jogadas aos porcos, e lá se vê a turma, a falar em diálogo e condenar os supostos radicais que reagem apaixonadamente contra tal blasfêmia. Estão, pois, embriagados na moderação, brisando como maconheiros...

Nenhum comentário:

Postar um comentário