sábado, 13 de março de 2021

Alto! O Coração de Jesus está commigo!

[...] O piedoso costume de trazer a imagem do Sagrado Coração como escapulario não foi conhecido ao principio senão nas casas da Visitação. Foi a digna émula da serva de Deus, a Veneravel Anna Magdalena Rémuzat, da Visitação de Marselha, que a tornou conhecida fóra do claustro. Em 1720 conheceu ella, por uma revelação, que uma grande peste estava prestes a cair em Marselha, e que os feridos achariam soccorro maravilhoso na devoção ao Sagrado Coração de Jesus. A santa religiosa com auxilio de suas irmãs fez milhares de escapulários do Sagrado Coração, nos quaes se liam estas palavras d'uma confiança admirável: Alto! O Coração de Jesus está commigo! A historia diz que muitas vezes o flagello parou como por milagre deante desta imagem protectora. Desde então começou a espalhar-se o uso d'este escapulario por muitos paizes. Em 1748 o Papa Bento XIV enviou alguns d'estes escapularios á piedosa rainha de França, Maria Leczinska. No tempo da Revolução Francesa grande numero de fieis se collocaram debaixo da protecção do Coração de Jesus, trazendo a sua imagem ao peito.

Teve esta santa imagem os seus martyres e não poucos. Dezeseis religiosas carmelitas de Compiégne, João Bénard, sacerdote de Rennes, o P. Lenfant, S. J., a Irmã Maria Colin, da Visitação de Besançon, a Irmã Catharina Joussement, o senhor de La Biliais, sua esposa e duas filhas, de Nantes, Victoria de S. Lucas, de Quimper, e muitos outros foram condemnedos a subir ao cadafalso em 1793, por trazerem com sigo, ou propagarem o que os seus accusadores chamavam a libré do fanatismo. Entre os documentos de accusação apresentados nos tribunaes para se conseguir a condemnação de Maria Antonietta, da princeza Isabel, da princeza de Lamballe, da condessa de Saisseval, da condessa de Carcado e de outras pessoas detidas na prisão dos carmelitas, appareceram os escapularios do Sagrado Coração. Devemos mencionar ainda as numerosas victimas immoladas em Nantes, em Nossa Senhora des Lucs, na Vandêa. O exercito Vandeano chegou até a ·escolher esta imagem como divisa ; generaes e soldados traziam-n'a ostensivamente ao peito.

Para animar este piedoso costume, Pio IX concedeu a 28 de março cie 1873 cem dias de indulgencia a todos os que, revestidus d'esta insígnia, rezarem um P. Nosso, Ave e Gloria. [...]

- O Coração de Jesus segundo a Doutrina da Beata Margarida Maria Alacoque; p. 110-111.

Nenhum comentário:

Postar um comentário